Mirim Droriana


Plebeia droryana coletando pólen em uma flor de Cordyline terminalis
Foto_Julio Pupim

· Hymenoptera
. Apoidea
. Apidae
· Meliponini
Nome científico: Plebeia droryana (Friese, 1900)
Nome popular: Mirim, Mirim Droriana (Nogueira-Neto, 1970).

Abelhas sociais, inteiramente mansas, cujos ninhos são encontrados em diversos lugares, sendo que utilizam desde árvores até barrancos, desde que os ocos sejam de tamanho apropriado e não aquecidos pelo sol em demasia. A entrada do ninho é feita com própolis e é geralmente curta no exterior do ninho, não sendo fechada à noite. Os favos de cria são horizontais ou helicoidais e ocorrem células reais. O invólucro está presente nos favos de cria e é construído com cerume (Nogueira-Neto, 1970). As colônias podem ser constituídas por 2.000 a 3.000 abelhas (Lindauer & Kerr, 1960). A construção dos favos de cria é suspensa no inverno ou em uma parte dele no Estado de São Paulo (Nogueira-Neto, 1970). Nesta espécie, ocorrem machos normais e gigantes, ambos são tratados da mesma maneira pelas operárias (Cortopassi-Laurino, 1978).

A Droriana, não é grande produtora de mel, sua produção anual não ultrapassa as 500 gramas, em compensação é uma grande polinizadora, podendo ser utilizada na agricultura para a polinização de diversas culturas.

A entrada do ninho é bem característica, podendo facilmente ser identificada. Ela é encontrada em grande numero nas áreas urbanas, pois além de não ser exigente quanto ao local do ninho, também formam comunidades com vários enxames uns próximos aos outros.

Entrada do ninho
Foto_Julio Pupim

A rainha dessa espécie entra em diapausa no inverno, reduzindo ao máximo o consumo de alimento da colonia, o enxame perde quase todas as operarias, e fica sem discos de cria, mas ao chegar da primavera o enxame se recupera com uma rapidez surpreendente voltando ao estado normal.

Essa abelha é a apta a viver em caixas racionais de diversos modelos, mas o mais indicado e utilizado é o modelo INPA que facilita o manejo e a multiplicação artificial.Abaixo seguem as medidas recomendadas para a fabricação das caixas.Clique nas imagens para visualizar.











Madeiras recomendadas: Pinus, Caixeta, Eucalipto, Peroba, Cedrinho (Evite usar madeira de Lei)

Postagem: Willian H. de Lima      
Fotos: Julio Pupim      
Desenhos: Willian H de Lima     
Referencia de Texto : Guia Ilustrado das abelhas do estado de São Paulo    
      




2 comentários:

  1. Muito grato pelas informações! Tenho muitas Drorianas em meu meliponário e no muro do quintal. Gosto muito delas porque as observo desde que eu era criança. Nas que manejo, notei que são mesmo pouco exigentes com os tratos , além de muito resistentes!

    ResponderExcluir